Insônia: Saiba mais sobre esse distúrbio do sono tão comum


O que é


Todos os anos 2 milhões de novos casos de insônia surgem no Brasil, sendo esse um problema muito comum que atinge pessoas de diversas idades. Esse distúrbio se caracteriza pela dificuldade em iniciar o sono ou então de se manter dormindo, dessa forma a qualidade de vida do paciente é altamente afetada causando muito cansaço durante o dia, baixo rendimento, variações de humor, além de estar ligada a várias doenças físicas e psicológicas devido à má qualidade do sono. O estresse, a obesidade, a ansiedade e a depressão são exemplos de doenças que podem surgir ou se agravarem ainda mais.


Muitas pessoas apresentam ou podem apresentar a insônia em algum período da vida. Seu quadro pode ser passageiro devido a um episódio isolado de muito estresse, trabalho e maus hábitos, nesses casos há maiores possibilidades de uma melhora, ou então em quadros que podem ser mais duradouros, a temida insônia crônica.


Uma pessoa que sofre com insônia, além de demorar muito para dormir, pode possuir em média 6 horas ou menos de sono.

Sinais e sintomas


Por ser tratar de um distúrbio do sono, a insônia pode apresentar vários sintomas, por isso se atente a cada um deles, alguns merecem destaque devido ao fato de serem mais comuns, são eles: dificuldade e demora para dormir ao deitar, despertar durante a noite ou então acordar muito cedo de maneira repentina, sentir que o sono não está descansando e apresentar muita irritabilidade.


Outros sintomas permeiam por falta de atenção, baixo rendimento, depressão, ansiedade, perdas de memória, obesidade, dores de cabeça, problemas gastrointestinais, coordenação motora afetada, entre outros.


Causas


Digo sempre que a nossa qualidade de vida começa por uma noite bem dormida. É possível entender isso quando observamos as causas da insônia uma vez que ela pode se depreender dos maus hábitos cotidianos, do uso de determinados medicamentos, algumas doenças físicas e mentais, disfunções hormonais, além de outras situações externas. Isso porque a maioria dos casos desse distúrbio se trata de uma insônia do tipo psicofisiológica.


Veja alguma das possíveis causas desse distúrbio:


• Com o decorrer da idade a probabilidade de manifestar a insônia aumenta.


• A ansiedade interfere na qualidade do sono, inclusive a preocupação com a dificuldade em dormir pode ser uma das causas da insônia.


• Estudos já comprovam a relação de pessoas com depressão que sofrem de insônia, a maioria dos quadros depressivos apresenta esse distúrbio do sono.


• O estresse decorrente de preocupações e afazeres aumenta a quantidade de determinados hormônios no nosso corpo, deixando-o em estado de alerta até mesmo na hora de dormir, interferindo na qualidade do sono. Além de desencadear a insônia, outros problemas como a ansiedade e a baixa imunidade podem surgir.


• O uso de determinados medicamentos como os antidepressivos, antialérgicos e corticosteroides podem colaborar com o despertar ou com a dificuldade em dormir.


• Dormir em ambiente muito claro, em frente à TV, em locais desconfortáveis e não ter uma regularidade do sono são hábitos totalmente favoráveis para o surgimento desse problema.


• Determinadas condições médicas são associadas à insônia, como: dores crônicas, obstruções respiratórias, insuficiência cardíaca, doença de Parkinson, problemas na tireoide, refluxo gastroesofágico, entre outras.


• O consumo exagerado de nicotina (cigarro), álcool e cafeína, presentes em chás, cafés e refrigerantes, interferem na qualidade do nosso sono por serem extremamente estimulantes.


• Outras situações como: luto, perda de emprego, disfunções hormonais, problemas respiratórios, sedentarismo, viagens para lugares com diferentes fusos e apneia do sono também podem contribuir para a insônia.


Diagnóstico


Caso você tenha um ou mais desses sintomas e esteja suspeitando que possa estar com insônia, procure um médico especialista o mais rápido possível, ele irá lhe avaliar e ajudar a encontrar o que pode estar causando esse problema, além de indicar o melhor tratamento.


Durante essa avaliação ele levantará várias questões para saber quais sintomas você apresentou, seu estilo de vida, se você possui e/ou possuiu outras doenças, se toma medicamentos controlados e outras informações a respeito de sua saúde e seu sono, por isso esteja preparado.


Em seguida o médico analisará seu sono por meio de exames físicos a fim de encontrar possíveis causas do distúrbio, ele pode também solicitar exames de sangue para avaliar se não há distúrbios hormonais ou outras situações que podem interferir. Além disso o especialista pode solicitar uma espécie de ‘diário’ do seu sono por alguns dias para avaliá-lo depois.


Ainda há possibilidades das causas desse distúrbio não serem descobertas, nesses casos o indicado é fazer acompanhamento de uma noite do sono do paciente. Existem clínicas e hospitais que permitem que o paciente durma e seja monitorado, desde a respiração até mesmo às ondas cerebrais, durante toda a noite.


Tratamento


O tratamento da insônia consiste em várias mudanças de hábitos a fim de melhorar e restaurar a qualidade do sono. O médico irá indicar ações como: criar uma rotina regular para dormir, se exercitar, cortar os vícios e exageros naquilo que faz mal.


Se caso essas mudanças não resolvam por si só, ele pode prescrever certos medicamentos para aliar a essas medidas. Esses remédios irão contribuir para que haja maior relaxamento e readequação do sono e não interfiram em outros casos como a depressão e a ansiedade.


Novamente trago essa observação, somente o médico especialista pode indicar e receitar esses medicamentos, suas dosagens e o período necessário de tomar. Em hipótese alguma se automedique, esses remédios são perigosos quando não utilizados da maneira e dosagem corretas.


Convivendo com a Insônia e sua prevenção


É importante compreender que a insônia é um problema muito comum e que interfere demais na vida de quem sofre, porém é preciso exaltar que há soluções. Assim como já citado, a melhor opção para seu tratamento é a mudança de determinados hábitos cotidianos que se relacionam com nosso sono, tornando possível o tratamento e a convivência com esse distúrbio.


Para realizar essas mudanças, solucionar esse problema e ainda por cima prevenir esse distúrbio é preciso:


• Se atentar ao consumo de álcool, cafeína e nicotina;

• Confirmar com seu médico se os remédios que você faz uso interferem no sono;

• Evite dormir na parte do dia;

• Sair do sedentarismo e praticar atividades físicas;

• Estabeleça uma rotina para você dormir, evite lugares claros e desconfortáveis;

• Tenha momentos de lazer, busque e preze pelo relaxamento, faça o que gosta.


Esse distúrbio é reflexo de como nos portamos diante da nossa realidade, não podemos nos deixar levar pela falta de tempo, preocupações e problemas. É algo difícil de se controlar mas há soluções, para isso precisamos tomar certas atitudes e sempre que possível buscar ajuda profissional, no ramo da nutrição, psicologia, educação física e medicina. Buscar equilíbrio é sinônimo de saúde e qualidade de vida começa por uma noite bem dormida. 😉

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo