Tontura o que pode ser?

Atualizado: 9 de dez. de 2020


O que é?


A tontura nada mais é do que a sensação de perda de equilíbrio ou desmaio, sendo muito descrita como vertigem, dando a impressão de que a cabeça ou o ambiente estão girando, causando sensações perturbadoras que podem vir acompanhadas de náuseas, vômitos, zumbidos e até mesmo desmaio, situação que interfere bastante na qualidade de vida de quem sente. Ela é um sintoma que pode ser associada à inúmeras causas e também doenças, como disfunções no sistema vestibular periférico ou central (se tratando da maioria dos casos), problemas na pressão, hipoglicemia, anemia, problemas neurológicos, disfunções cardíacas e até mesmo questões emocionais, dentre vários outros motivos. Situação essa que justifica a importância e a necessidade de ser diagnosticada o quanto antes para que o tratamento indicado seja iniciado.


Quando os episódios de tontura começam a ocorrer frequentemente é muito importante consultar um otorrinolaringologista, justamente para ele chegar ao diagnóstico e identificar o que poder estar desencadeando o quadro.


Tipos de tontura


Existem 4 diferentes tipos de tonturas e por isso há classificações entre eles de acordo com suas causas:


• Tontura do aparelho labiríntico: é o tipo de tontura a qual tem como principal característica a sensação de desequilíbrio e de notar o ambiente ou a cabeça girando. É um tipo que pode vir acompanhado também pelo zumbido ou perda da audição, afinal de contas se trata de uma anomalia no ouvido interno.


• Tontura hemodinâmica: é o tipo de tontura que tem como sua principal causa disfunções e alterações cardíacas e de circulação, pois acontece quando a pressão cai e o sangue não é bombeado para o cérebro de maneira efetiva, trazendo a sensação de escurecimento da visão e desmaio.


• Tontura de estruturas neurológicas: tipo de tontura constante que traz a sensação de desequilíbrio, geralmente acomete os idosos. A tontura de estruturas neurológicas se dá devido a alterações da visão, pancadas na cabeça, neuropatias, consumo de álcool, drogas, uso de alguns medicamentos e também doenças neurológicas.


• Tontura emocional: esse tipo se desenvolve por meio de alterações psicológicas, como a ansiedade, depressão e síndromes. A tontura nesses casos vem por meio de alterações na respiração, falta de ar, aumento dos batimentos cardíacos, entre outros.


Causas


Assim como supracitado a tontura pode advir de inúmeras doenças e anomalias seguindo suas tipologias. Confira algumas das principais causas da tontura:


• Labirintopatias: uma das principais causas envolvidas com a tontura e também com o zumbido, por isso vamos falar sobre elas no tópico abaixo.


• Problemas psicológicos: ansiedade, depressão e estresse podem desencadear vertigens.


• Uso de drogas ilícitas e também o consumo em exagero de bebidas alcoólicas.


• Alimentação: alimentos como refrigerantes, café, vinhos, chocolate e queijos colaboram para o quadro de tonturas, principalmente para quem tem predisposição. 


• Cinetose: A cinetose se desenvolve durante viagens devido a locomoção passiva do corpo e pelo movimento do ambiente visual enquanto o corpo está parado em relação ao meio de locomoção. O que pode trazer náuseas, vômitos, sudorese, palidez e desconforto.


• Alterações metabólicas: as alterações metabólicas causam também tonturas, como alterações do colesterol ou triglicérides, de insulina, de glicose, alterações hormonais e etc.


• Vertigem de origem vascular: ocorro devido lesões em vasos ou nas áreas relacionadas ao equilíbrio e a adição, além das tonturas podem vir acompanhadas de vômitos e desequilíbrio.


• Ototoxicidade: medicamentos ototóxicos (que produzem efeito tóxico sobre o sistema auditivo) como por exemplo os antibióticos, anti-inflamatórios, quimioterápicos prejudicam a audição e consequentemente o sistema vestibular, que é responsável pelo controle do equilíbrio corporal.


 • Traumatismo crânio-encefálico: Pode ser provocado por acidentes, prática de esportes, agressões, quedas e acidentes de trabalho.


• Esclerose múltipla: Essa é a doença que mais atinge o Sistema Nervoso Central, o que justifica a intensidade das vertigens, que pode ser aguda e acompanhada de movimentos involuntários dos olhos.



Labirintopatias e seus tipos


Labirintopatia é qualquer doença que acomete o labirinto e consequentemente afeta o equilíbrio, tendo como um sintoma característico a tontura. São exemplos de labirintopatias doenças como a labirintite, Neurite vestibular, a VPPB, a Doença de Meniére, Labirintopatias metabólicas, Migrânea vestibular etc. O que as diferencia em cada uma dessas doenças é o tempo de duração da vertigem.


Tipos de labirintopatias


- Labirintite: é uma doença muito conhecida popularmente mas que é incomum de se encontrar. Ela ocorre devido a uma inflamação na orelha interna. Pode ocorrer tonturas, zumbido, dor e também secreção no ouvido.


- Vertigem posicional paroxística benigna ou VPPB: É a causa mais comum de tonturas, essa é confundida popularmente com a labirintite. Dentro do ouvido há cristais que auxiliam no nosso equilíbrio, quando ocorre algum deslocamento desses cristais ocorre a sensação de tontura, durando poucos segundos e podendo vir acompanhada de vômitos, sudorese e náuseas. A tontura se dá por movimentos específicos da cabeça como por exemplo deitar e levantar.


- Síndrome de Meniere: Trata-se de uma doença clínica que apresenta episódios de tontura correlacionados com a perda auditiva sensorioneural unilateral flutuante e também o zumbido.


- Neurite vestibular: apresenta um quadro intenso que pode ter horas e até mesmo dias de duração e vem acompanhado por sintomas neurovegetativos intensos.


- Hidrópsia endofática: apresenta vertigens rotatórias de repetição, são bem intensas e é associada aos zumbidos e a perda de audição.


- Migrânea vestibular: apresenta tonturas associadas a enxaquecas, são precipitadas graças a questões genéticas, dietéticas e ambientais (som e luz).



Importância de buscar o especialista


O tratamento de uma crise labiríntica necessita de um diagnóstico muito preciso sobre o que está causando, afinal de contas para cada situação é preciso uma medida, então se você apresenta qualquer sinal de tontura ou outro sintoma procure um médico otorrinolaringologista, independente do quadro, qualquer problema identificado com antecedência é solucionado mais rápido, além de nesses casos ser mais garantido o restabelecimento da função labiríntica ao seu “normal”. Lembre-se sempre, tontura não é doença e sim um sintoma.

71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo